Proposta 1 – Idosos em nossa sociedade: valorizados, desvalorizados ou privilegiados?

Com o “envelhecimento” da população brasileira, tem-se falado muito da importância do bem-estar dos idosos. Em sociedades como a indiana e a japonesa, por exemplo, o velho é a figura mais importante da família e da comunidade. No Brasil, alguns sociólogos afirmam que, se um país precisa de um “estatuto dos idosos” (ou seja, de uma lei) para lembrar a respeitabilidade deles, isso indica que algo está muito errado… Por outro lado, há tantos privilégios sociais em torno da “terceira idade” (meias-entradas, ausência de filas, empréstimos especiais) que os “não velhos” se consideram prejudicados. Qual é sua opinião: o idoso, no Brasil – com ou sem rendimentos próprios – é valorizado, desrespeitado ou privilegiado?
Obrigação social

Art. 3 – É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária. […]
Art. 4 – Nenhum idoso será objeto de qualquer tipo de negligência, discriminação, violência, crueldade ou opressão, e todo atentado aos seus direitos, por ação ou omissão, será punido na forma da lei.
Nem tem 60 anos

“É um absurdo, é um exagero! Você vai ao banco, ao cinema, em qualquer fila, até as de emergência, e aquele monte de pessoas passa na sua frente se dizendo idoso…Quem é idoso? A pessoa às vezes nem tem 60 anos, anda de tênis, usa óculos escuros, está superbem arrumada, mulheres maquiadas, homens jogando charme e dizem “sou idoso”. E lá ficamos nós, trouxas,para trás. Acho que há muita moleza. Até officevelho os escritórios arranjaram… Empréstimos, décimo-terceiro antecipado, medicamentos e trabalho? Tudo é para eles, e nós, que estamos na idade adulta e necessitada, o que sobra para nós? O governo devia pensar em todos, mesmo porque ser idoso não é ser minoria”.
[Desabafo de cidadão que preferiu não se identificar]
Aposentadoria minguada

“Sou idoso, vivo de minha aposentadoria minguada do INSS e tenho empréstimo consignado e dívida em bancos que não estou conseguindo pagar em dia. Nem assistência médica eu tenho. Mesmo assim, o valor de pouco mais de R$100 que eu deveria receber de restituição do IR está bloqueado […]”.
[Antônio do Valle Painel, Painel do leitor, Folha de S. Paulo, 9/10/09]
Fragilidade

“As situações que levam ao abandono são provocadas pela condição de fragilidade do idoso, que pode passar a depender de outras pessoas, pela perda da autonomia e da independência, pelo esfriamento dos vínculos afetivos e pela conduta do grupo de relações ou ausência dele […].”
[Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Universidade Aberta da Terceira Idade]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑